sábado, 18 de dezembro de 2010

meu computador.

hi, how's it going? Unfortunatelly i'm steel don't getting to believe. My computer is broke. When i get other oportunity, i'll post something here. Same with all this, i'm glad for everything happened with me. I'm waiting for the sunday. :) the carla's party were cool to much. Congratulations! Have a good weekend.

domingo, 12 de dezembro de 2010

http://fantastico.globo.com/aovivo/ --> Look this... very cool to watch.


Participe de uma aventura no coração do Brasil
Se você é estudante universitário, tem mais de 18 anos, e gosta de aventuras radicais, o Fantástico quer conhecer você.


Se você é estudante universitário, tem mais de 18 anos, e gosta de aventuras radicais, o Fantástico quer conhecer você. Prepare um vídeo de no máximo um minuto e mande para nós, dizendo por que você deve ser escolhido para participar de um novo quadro do Fantástico, uma aventura de um mês pelo coração do Brasil. São requisitos importantes ter boa saúde, disposição, disciplina e senso de orientação. Obrigado e boa sorte! Clique aqui para enviar seu vídeo.

Fonte para pesquisar depois: CLIQUE AQUI.

EUA estudam 'seriamente' acabar com exigência de visto para brasileiros

Olhem esta notícia:

Internacional

10/12/2010 - 19:37
COMPARTILHAR IMPRIMIR


Diplomacia
EUA estudam 'seriamente' acabar com exigência de visto para brasileiros

A informação é do embaixador americano no Brasil, Thomas A. Shannon. Leia a entrevista completa com o diplomata em VEJA deste fim de semana

Mariana Pereira de Almeida

“Atingir 97% de aprovação é um dos requisitos para que um país possa ser incluído no programa de dispensa de visto”, disse Shannon (Luiz Maximiano)

“Há grande interesse na concessão desse status aos brasileiros. Não posso dar datas, mas a estudamos seriamente a questão.”

Entre os países que mais requisitam vistos de entrada para os Estados Unidos, o Brasil só fica atrás de China, Índia e México. São 300.000 solicitações por ano e o índice de aprovação é atualmente de 95%. Em entrevista exclusiva a VEJA, o embaixador americano no Brasil, Thomas A. Shannon, revela que esse número põe o Brasil a apenas dois pontos porcentuais de uma fronteira importante: aquela que permite a um país pleitear isenção de visto para seus viajantes.

“Atingir 97% de aprovação é um dos requisitos para que um país possa ser incluído no programa de dispensa de visto”, diz Shannon. “Há grande interesse na concessão desse status aos brasileiros, inclusive entre os americanos ligados à indústria do turismo. Não posso dar datas, mas a estudamos seriamente a questão.” Shannon lembra que emitir vistos para viajantes significa criar empregos nos Estados Unidos. Em 2009, por exemplo, brasileiros gastaram 785 milhões de dólares só no estado da Flórida.

A íntegra da entrevista com o embaixador americano será publicada na edição de VEJA que chega às bancas neste fim de semana. Nela, o diplomata fala sobre o novo papel do Brasil no mundo e sobre as repercussões políticas do vazamento de 250.000 documentos secretos do governo americano pelo site WikiLeaks - inclusive trocas de mensagens entre a embaixada dos EUA no Brasil e Washington. Para Shannon, a revelação dos telegramas não afeta as relações entre os dois países.

O embaixador voltou a ressaltar a cooperação bilateral, nesta sexta-feira, após a divulgação de novas correspondências sobre o Brasil. Os documentos mostram que a diplomacia americana afirmou, em 2005, que a então recém nomeada ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, “organizou três assaltos a bancos”. Segundo os arquivos, os EUA teriam dito ainda que Dilma “planejou o lendário ‘roubo ao cofre de Adhemar’” - referência à ação de grupos terroristas de esquerda para roubar o cofre do ex-governador de São Paulo, Adhemar de Barros, no Rio de Janeiro, na tarde de 18 de julho de 1969.

“O governo dos Estados Unidos não tem qualquer informação que confirme essas alegações. Pelo contrário, temos com a presidente eleita um longo e positivo relacionamento, que começou em 1992 com um programa de intercâmbio e que continuou durante seus períodos como ministra de Minas e Energia e como chefe da Casa Civil da Presidência”, diz Shannon.

O diplomata afirmou que Dilma vem desempenhando um papel fundamental no desenvolvimento das relações Brasil-Estados Unidos. “Recentemente, o presidente Barack Obama expressou claramente seu interesse em reunir-se com a presidente eleita o mais cedo possível”, acrescentou.

Tags: brasil, embaixador, eua, thomas shannon.

Para verificar a fonte, clique AQUI.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

para refletir

"Ser obrigado a trabalhar, e obrigado a fazer o melhor possível, cria em você moderação e autocontrole, diligência e força de vontade, ânimo e satisfação, e cem outras virtudes que o preguiçoso nunca conhecerá." (Charles Kingsley)

"Nenhum trabalho de qualidade pode ser feito sem concentração e auto-sacrifício, esforço e dúvida."
(Max Beerbohm)

"O que fazemos durante as horas de trabalho determina o que temos; o que fazemos nas horas de lazer determina o que somos.”
(Charles Schulz)

"Assim com não existem pessoas pequenas na vida, sem importância, também não existe trabalho insignificante”.
(Elena Bonner)

"Não desista enquanto você ainda for capaz de fazer um esforço a mais. É nesse algo a mais que está a sua vitória."
Roberto Shinyashiki

"O sofrimento é o intervalo entre duas felicidades."
Vinícius de Morais

"Tudo o que um sonho precisa para ser realizado é alguém que acredite que ele possa ser realizado."
Roberto Shinyashiki

Mesmo que as pessoas tenham lhe magoado, pessoas essas que você ama muito, jamais desista do amor.Tenha fé, pois tudo isso irá passar, você verá que o amor vence tudo pode acreditar.

"Não preciso de provas quando a verdade vem de Deus."

"Quanto menos palavras tiver a oração, tanto mais rapidamente chegará a Deus." Lutero

"Onde há fé, há amor, onde há amor, há paz, onde há Deus, nada falta." Marden


AS PALAVRAS

(José Saramago)

As palavras são boas. As palavras são más. As
palavras ofendem. As palavras pedem desculpas.
As palavras queimam. As palavras acariciam.
As palavras são dadas, trocadas, oferecidas,
vendidas e inventadas. As palavras estão ausentes.
Algumas palavras sugam-nos, não nos largam...
As palavras aconselham, sugerem, insinuam,
ordenam, impõem, segregam, eliminam. São melífluas
ou azedas. O mundo gira sobre palavras lubrificadas
com óleo de paciência. Os cérebros estão cheios
de palavras que vivem em boa paz com as suas
contrárias e inimigas. Por isso as pessoas fazem o
contrário do que pensam, julgando pensar o
que fazem. Há muitas palavras. E há os
discursos, que são palavras encostadas
umas às outras, em equilíbrio instável graças
a uma precária sintaxe, até ao prego final do
Disse ou Tenho dito. Com discursos se comemora,
se inaugura, se abrem e fecham sessões, se
lançam cortinas de fumo ou dispõem bambinelas
de veludo. São brindes, orações, palestras e
conferências. Pelos discursos se transmitem
louvores, agradecimentos, programas e fantasias. E
depois as palavras dos discursos aparecem deitadas
em papéis, são pintadas de tinta de impressão - e por
essa via entram na imortalidade do Verbo. E as palavras
escorrem tão fluidas como o
"precioso líquido". Escorrem interminavelmente,
alagam o chão, sobem aos joelhos,
chegam à cintura, aos ombros, ao pescoço.
É o dilúvio universal, um coro desafinado
que jorra de milhões de bocas. A terra segue o seu
caminho envolta num clamor de loucos, aos gritos,
aos uivos, envoltos também num murmúrio manso,
represo e conciliador... E tudo isso atordoa as estrelas
e perturba as comunicações, como as tempestades
solares. Porque as palavras deixaram de comunicar.
Cada palavra é dita para que se não ouça outra
palavra. A palavra, mesmo quando não afirma,
afirma-se. A palavra não responde nem pergunta:
amassa. A palavra é a erva fresca e verde
que cobre os dentes do pântano. A palavra é poeira
nos olhos e olhos furados. A palavra não mostra.
A palavra disfarça. Daí que seja urgente moldar
as palavras para que a sementeira se mude em
seara. Daí que as palavras sejam instrumento
de morte - ou de salvação. Daí que a palavra só valha
o que valer o silêncio do ato. Há também o silêncio.
O silêncio, por definição, é o que não se ouve.
O silêncio escuta, examina, observa, pesa e analisa.
O silêncio é fecundo. O silêncio é a terra negra e fértil,
o húmus do ser, a melodia calada sob a luz solar.
Caem sobre ele as palavras. Todas as palavras.
As palavras boas e as más. O trigo e o joio.
Mas só o trigo dá pão.

*OBRIGADO POR TUDO :)

sábado, 4 de dezembro de 2010

It were the last day of our class. This day, we were running too. Thanks for the photograph, Elaine.
Look the pictures below:







quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Estudante de medicina bandido – mais um crime impune em Florianópolis?

Fonte: http://www.tijoladas.info/garotas-agredidas-em-casa-noturna-da-lagoa-da-conceicao-%E2%80%93-florianopolis-%E2%80%93-vecchio-georgio-%E2%80%93-dono-marginal-deu-cobertura-para-o-agressor-lucas-verissimo/
Garotas agredidas em casa noturna da Lagoa da Conceição – Florianópolis – Vecchio Giorgio – Dono marginal, deu cobertura para o agressor LUCAS FELICÍSSIMO – Cheiro de impunidade no ar

Submitted by Amilton Alexandre on domingo, 21 novembro 20108 Comentários
Erro! O nome de arquivo não foi especificado. Estudante de medicina bandido – mais um crime impune em Florianópolis?

Estudante da 9ª fase do curso de Medicina da UFSC agrediu covardemente duas meninas em casa noturna. Um polícial cívil estava no local e conduziu o elemento até a delegacia. O delegado, já começou fazendo merda, não dando prisão em flagrante. Advogados apareceram e levaram o meliante para a casa. O bandido natural de Belo Horizonte já tirou seus perfis das redes sociais.

Eis os fatos: Fomos eu e mais duas amigas ao Vecchio Giorgio, um barzinho aqui em Floripa que fica na Lagoa da Conceição. Jantamos e subimos para o segundo andar, onde estava tocando uma banda de samba rock. O ambiente estava superlotado, insuportável. Decidimos que iríamos embora, e ainda não passava da 1 da manhã. De repente um rapaz começou a nos empurrar. Uma menina foi pedir para ele parar e ele imediatamente começou a agredi-la. Minha amiga foi separar e ele deu um soco em sua testa. Afundou a testa no mesmo momento. Algumas pessoas foram segurá-lo e ele começou a jogar garrafas nas pessoas. Uma outra menina foi atingida e levou sete pontos.
Questões importantes a serem consideradas:
1- Ninguém conhecia o rapaz. Ele saiu agredindo gratuitamente. Depois voltou dançar como se nada houvesse acontecido;
2 - O segurança do Vecchio só apareceu depois, quando eu fui chamá-lo e levá-lo ao agressor;
3 – Perceberam que eu falei no singular? É que no Vecchio há apenas UM segurança;
4 – Os funcionários do bar em nenhum momento prestaram auxílio às vítimas. O proprietário do bar em momento nenhum subiu ao segundo andar para ver como estavam as vítimas;
5 – O segurança carregou o agressor e o levou para o andar de baixo, querendo liberá-lo. Como o pessoal do térreo não sabia o que estava acontecendo, tive que me colocar na frente do segurança e começar a gritar para impedir que o agressor fosse liberado;
6 - O proprietário do bar, que como eu disse, em momento nenhum foi verificar a situação das vítimas e não chamou a ambulância, mandou-me calar a boca, porque eu estava exagerando e fazendo tempestade num copo de água (palavras suas);
7 - O agressor ria e debochava da minha cara o tempo todo, dizendo que também me bateria;

8 - Dois meninos conseguiram trazer minha amiga para baixo e um policial civil presente impediu que o dono do bar e seu único segurança liberassem o criminoso. Fomos tentar sair com ela para levar ao hospital (lembrando que ela estava com a testa afundada), mas o dono do bar nos impediu de sair porque não havíamos pago as comandas;
9- Voltei ao caixa, paguei as comandas e saí com a minha amiga (precisavam ver a cara de alívio do dono do bar, que em momento algum ofereceu ajuda, só nos mandou parar de fazer escândalo desnecessário);
10 – Fomos ao hospital, minha amiga tevea testa afundada, um osso do crânio fraturado. Em momento algum apareceu alguém do bar para prestar assistência;
11 – Foi identificado o agressor, Lucas Felicíssimo, natural de Belo Horizonte, estudante da oitava fase de Medicina da UFSC. Dizem que chegou na Delegacia parecendo outra pessoa, aquele sorriso debochado fez-se lágrimas de crocodilo, acompanhados do velho jargão ‘sou inocente’. Quem viu disse que chegava a ser comovente tão brilhante atuação;
12 – O agressor, já acompanhado de advogados, foi liberado. Muitos dos presentes sentiram-se com medo de divulgar seu nome e ser ameaçado de crime de calúnia e difamação;
13 – Lucas Felicíssimo, não tenho medo da verdade. Você deve ter, eu não. Dezenas de pessoas te viram agredindo mulheres, quebrando a cabeça da minha amiga. Não tenho medo de você, seu covarde.
14 – Negligene ou conivente? Qual o adjetivo que melhor se coaduna com o proprietário do bar? E a omissão de socorro? E a falta de humanidade? Seu único interesse foi o de manter a imagem do seu bar, o tempo todo. E a falta de seguranças? E se ele tivesse uma arma? Teria nos matado a todos porque não há nenhuma espécie de controle na entrada. Ah, hoje fiquei sabendo que uma briga muito parecida ocorreu lá no Vecchio no feriado (nem isso levou o dono do bar a contratar mais seguranças);
15 – E o bandido, que em breves tempos será médico? Que tipo de médico é esse, que ao invés de salvar vidas manda duas mulheres que sequer conhecia, sem motivo, para o hospital?

As perguntas permanecem irrespondidas. Espero que a nossa Justiça possa responder algumas delas. Que mundo é esse? Onde vamos parar? Ah, o bandido e o dono do bar a essas alturas devem estar na praia; minha amiga está em casa aguardando uma cirurgia na cabeça.
Nota do blogueiro Boicotem essa pardieiro que não oferece segurança para mulheres. Não dê grana para empresário marginal. Detone esses caras nas mídias sociais.
#BOICOTEVecchioGiorgio

Holiday

Finally, i think that i got the holiday! Isn´t it cool? :)
Ocorreu um erro neste gadget